Armadilhas na modernização de elevadores: não caia nessa!



ARMADILHA PRINCIPAL: CONTATOS DE PORTA

Você deve ter notado que na porta do seu elevador velho existe uma caixa preta no canto de cima da porta quando aberta. Esta caixinha é o trinco da porta que tem três funções:

1 - Serve para trancar a porta impedindo sua abertura se o elevador não estiver no andar;

2 - Há um Contato de Segurança que indica para o Comando Elétrico (cérebro do elevador) que a porta está fechada ou aberta. Se o contato está aberto, o cérebro não deixa o motor partir, pois uma pessoa pode estar entrando ou saindo da cabina e sofreria ferimentos graves. Se o contato está fechado, o "cérebro" permite a partida do motor, mas não sem antes verificar o outro contato;

3 - Há um outro Contato de Segurança que indica para o comando elétrico (cérebro) que a porta trancou (fechado) ou não trancou (aberto). Se a porta não trancou, o cérebro não permite a partida do motor.

Esses trincos e contatos sofrem muito com a poeira e a oxidação (algumas pessoas lavam o Hall e jogam a água suja por debaixo da porta do elevador, sujando todos os trincos e contatos abaixo daquele andar). Eles só continuam funcionando porque os Comandos Elétricos antigos jogam 110 volts neles e a corrente elétrica forte consegue passar pelos contatos sujos.



Mesmo que estes contatos sujos impeçam a passagem da corrente forte por alguns segundos durante o movimento do elevador, o Comando antigo, que é eletromecânico, é tão lento para perceber isto que não desliga o motor.

Aí você contrata a Modernização. O vendedor, para te oferecer o menor preço propõe trocar apenas o Comando Elétrico por um Comando Eletrônico, sem dar bola para os contatos sujos. Porém, o Comando Eletrônico novo não trabalha com 110 volts nos contatos das portas: ele trabalha na faixa de 24 ou 28 volts, corrente contínua fraca, que não consegue passar pela sujeira e oxidação dos contatos velhos. O comando vai pensar que a porta está aberta ou destravada e vai impedir a partida do motor.

E pior: se durante o movimento do elevador, estes contatos sujos abrirem a corrente por um milésimo de segundo, o novo Comando Eletrônico é tão rápido que percebe isso, desliga o motor e prende os passageiros dentro da cabina no meio do percurso. É um inferno!

E, quando você reclamar, o vendedor ou o supervisor de manutenção vai dizer que você precisa trocar os contatos sujos das portas e te enviar um orçamento caríssimo. Você é refém deles!

Antes de assinar um contrato de modernização, obrigue a empresa a garantir que revisou os contatos de porta ou incluir isto na negociação. As fotos a seguir mostram alguns destes contatos e trincos sujos:




SOBRE O AUTOR

Engenheiro Boris Risnic

A Drelevador é a marca fantasia utilizada pela RIS CONSULTORIA, TREINAMENTO E COMÉRCIO LTDA. para atuar na área de consultoria em transporte vertical de pessoas. É uma Consultoria criada e composta por profissionais executivos com larga experiência na fabricação, instalação e manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes, Administração de Contratos e Diagnóstico de Causas de Disfunção Técnica. Boris Risnic, fundador e proprietário, é Engenheiro Industrial Eletrônico, formado em 1972 pela Faculdade de Engenharia Industrial da Pontifícia Universidade Católica, campus de São Bernardo do Campo - SP. Possui especialização na Pensilvânia State University em 1978. Sua experiência nos últimos 20 anos de carreira, foi focada na tecnologia de Elevadores e Escadas Rolantes, trabalhando na multinacional Elevadores Otis, do Grupo United Technologies, onde chegou ao cargo de Diretor de Segurança, Meio Ambiente, Qualidade e Ética para America Latina. Neste cargo tinha sob sua responsabilidade a Segurança dos Elevadores instalados em toda a America Latina, realizando inspeções e auditorias em todas as principais cidades do Continente e participando da equipe de Diretores Mundiais para Segurança e Meio Ambiente da UTC. No ultimo cargo exercido ao longo de cerca de 10 anos, além de Diretor de Segurança e Qualidade de Elevadores para a America Latina, foi membro do Comitê Internacional da Empresa para analise de Acidentes e suas Causas Raiz e participou do desenvolvimento de regras e parâmetros de Segurança e Meio Ambiente que norteiam o Grupo UTC hoje. Recebeu Treinamento e Certificação na técnica de Analise de Causa Raiz de Incidentes da empresa americana Systems Improvements Inc., técnica esta denominada TapRooT© e considerada padrão internacional. Hoje, alem de Proprietário da Ris Consultoria, é também Instrutor Certificado e representante da TapRoot © para America Latina, ministra cursos e presta Assessoria às empresas Petrolíferas, Mineradoras e à Indústria em geral. Entre as empresas que já receberam o treinamento TapRoot© ministrado por ele constam, Shell, Ericsson, Rio Tinto Mineradora, General Eletric, Monsanto, Subsea 7, Ensco, Columbian Chemicals, Kidde, Nalco, etc. Entre as muitas instalações de Elevadores e Escadas, algumas das mais importantes que supervisionou foram os Elevadores e Escadas Rolantes do Cristo Redentor no Rio, dos Aeroportos de Brasília e Ezeiza em Buenos Aires, do Edifício Chrysler no México, Edifícios WTC, Centro das Nações Unidas, Shopping Eldorado e Shopping Daslu em São Paulo. Desta maneira seu conhecimento abrange uma gama imensa de modelos e tecnologias de Elevadores, Escadas Rolantes e Segurança de Prevenção, podendo ser considerado um especialista nesta área. Após concluir sua carreira na multinacional Otis, criou a Drelevador em agosto de 2008 para prestar Assessoria às Construtoras, Empresas de Engenharia, aos Síndicos, Condôminos e Administradoras que necessitem da ajuda de um ESPECIALISTA INDEPENDENTE para resolver os problemas dos Elevadores do Condomínio, Assessoria para especificação de Modernizações ou Projetos, Instalações e Supervisão de Novos Elevadores para empreendimentos de grande, pequeno ou médio porte. Sendo Consultores e Coordenadores de Projetos em essência, e independentes, a Drelevador não vende peças nem equipamentos, e não presta serviços de manutenção.

0 visualização

SINDICATOS

© 2018 por Revista Elevador Brasil