HOMENAGEM A ANTONIO MOURA


A homenagem desta edição da Revista Elevador Brasil é para uma pessoa que deixou seu nome marcado na história do mercado de elevadores do país. Antonio Moura, conhecido por alguns apenas como Moura e entre os mais íntimos, como Tuninho, nos deixou no último dia 13 de abril, aos 69 anos.

Moura partiu precocemente, já que ainda era tão jovial, mas viveu uma vida plena e muito bem vivida! De seus quase 70 anos de idade, 46 foram dedicados ao ramo de elevadores, onde trabalhou até seus últimos dias, mesmo quando se descobriu doente.

Sua carreira no mercado de elevadores começou por volta de 1972, na então Elevadores Guanabara. A partir de então, ele passou pelas empresas Maba e Schindler, até que junto com três sócios, abriu sua própria empresa de manutenção de elevadores, a extinta Elevadores EletroCampos, à qual se dedicou por 33 anos. Mesmo depois de fechar sua empresa, já aposentado, fez questão de continuar atuante até o fim, quando prestou serviço para as empresas Elbo e Parole.

Ao longo de todo os anos de dedicação aos elevadores, ele não se conteve em trabalhar apenas para suas empresas de atuação, ele deixou seu nome marcado para sempre no ramo, quando em 1991, fundou o Sindicato das Empresas de Conservação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado do Rio de Janeiro – o SECMIERJ. Por cerca de 23 anos, Moura presidiu o sindicato e sua atuação foi decisiva para conquistas históricas da categoria, dentre elas a Lei 2.743/99, de 7 de janeiro de 1999, que regulamentou a fabricação, instalação e conservação de aparelhos de transporte no município do Rio de Janeiro, trazendo benefícios incalculáveis para as empresas do mercado de elevadores do estado.

Com muito empenho e ética profissional, Moura fez a diferença para as empresas e todas as categorias vinculadas ao ramo de elevadores ao longo de todo o seu histórico de trabalho. Mas ele foi muito além disso. Viveu 44 anos ao lado de sua companheira de vida, Sonia, com quem teve duas filhas e um neto. Para sua família, deixou um eterno exemplo de caráter, bom humor e solidariedade ao próximo. Ao longo de 38 anos de sua vida, ele não se ateve a ser pai apenas de suas filhas, mas também assumiu a bela missão de levar alegria a dezenas de crianças, adultos e idosos, sendo Papai Noel em festas de família, condomínios, igrejas, hospitais, orfanatos, asilos e comunidades carentes. Um trabalho solidário que fazia com um carinho e um prazer admiráveis.

A Revista Elevador Brasil não poderia deixar de registrar esta singela homenagem ao grande profissional que Antonio Moura foi para todo o ramo de elevadores do Brasil. Porém, mais do que isso, é preciso homenagear o exemplo de ser humano com quem todos tivemos o prazer de conviver e de quem temos um enorme legado a usufruir. Obrigado, Moura!



0 visualização

SINDICATOS

© 2018 por Revista Elevador Brasil